11.7.14

Imaginar a cena:
Local: parque de estacionamento de um hipermercado.
Personagens: duas condutoras, nos respetivos veículos.
Mirone: Eu (que estava a comer a minha meia baguete de atum maravilhosa, que tinha comprado minutos antes no bar do mesmo hipermercado)

Acção!
A condutora nº 1 chega no seu automóvel e, perante 30 lugares de estacionamento vagos à-vontade!, coloca-se pertinho do automóvel da condutora nº 2, que estava a meter as compras na mala, como que a dizer "vais demorar muito??" .
Ora que a nº 1 esperou uns quantos minutos pelo lugar da nº 2, quando tinha pelo menos 30 de vago.
A condutora nº 2, perante a cena, apressa-se a terminar de colocar as compras na mala, manda a filhota levar o carrinho das compras à zona indicada para o efeito, enfia-se no carro, liga-o, e arranca para apanhar mais à frente a filha. Isto porque, sua alteza-real condutora nº 1, permanecia parada, disposta a ocupar o lugar da condutora nº 2.
Isto há gente parva comó catano! Ou com tempo demais para esperar pelo lugar. E não, não era um lugar nada de especial. Era encostado à parede, na mesma linha de uns quantos que existem paralelos a esse, que estavam vazios. Eu hein. Gente doida.

Sem comentários:

Logo terei o trabalho árduo de ajudar o meu filho a decorar uma abóbora. Help.