8.5.14

O dono da empresa que nos colocou aqui a máquina automática de café, tem cancro. Há já uns dias que eu sabia, por uma operadora, que o tinha visto na cidade. Ele costumava vir encher os depósitos de café, água, açucar, esses consumíveis dessas máquinas e de uma semana para a outra deixou de vir.
Veio hoje. Acabei de me cruzar com ele na porta. De chapéu, sem pêlos nas sobrancelhas, mas com o mesmo sorriso simpático que sempre me deu. Um "bom dia" fantástico, no meio daquele rosto, mais magro do que tinha, e com os mesmos olhos azuis redondinhos fazendo lembrar um avô simpático. O filho estava com ele.
Que a sorte esteja do seu lado. ☼ Fico mesmo a torcer que este seu regresso seja para durar!

Sem comentários:

Logo terei o trabalho árduo de ajudar o meu filho a decorar uma abóbora. Help.