27.2.13

Gosto!


Adoro sopa. Acho que só a palavra me reconforta, so-pa. Lembra-me das sopas que a minha avó fazia à lareira - mesmo tendo fogão como toda a gente normal, fazia questão de aproveitar o fogo da lareira, sopa do pote como lhe chamavamos, tinha um sabor diferente das nossas. Sabia a lenha, sabia a carinho, sabia a... conforto. Hoje trago uma sopa para o almoço. Aquece-me por dentro e num dia frio como hoje aquece até à alma. O meu filho é como eu. Se há coisa que nunca torce o nariz é à sopa. Isto, numa criança com 5 anos, não deixa de ser curioso e digno de registo.
Com licença, vou almoçar, que ela já ferve.

Sem comentários:

Logo terei o trabalho árduo de ajudar o meu filho a decorar uma abóbora. Help.