28.2.13

A mãe deixa. Ou não.

Há pouco, no estaminé do meu marido:

- ó mãeeee! Olha, o Pai tem pintaroooooolas. Posso levar?
- não, nem pensar.
- ó mãeeee..., não é para levar para os meus amigos.
- hmmm...
- é para quando me ires buscar.
- quando eu te for buscar?
- sim. Deixas?? (com olhos de gato perdido)

Entretanto chega o Pai:
- ai e a mim, não me pedes?

eu: a mãe diz se deixa ou não, o pai diz se dá ou não.
ele: tá bonito.

- então?? Deixas?
- ok.
- ó paiiiiiii, dás-me umas pintarolas?
- dou.

Teve sorte. Tenho-as aqui comigo. Dois tubinhos. Um para ele outro para o primo. Logo vai ser um silêncio na carrinha, e só se vai ouvir o treck da tampinha a fechar.

ps: sim, não é por ser filho do dono do café que tem autorização para pegar em tudo o que quer. Não faltava mais nada. É assim que deve ser, foi assim que o ensinámos desde sempre. A nossa sorte é que ele não é nada doceiro. Não come bolos, raramente pede um rebuçado..., é mais de salgados, como eu. Querem vê-lo feliz e contente? É dar-lhe panados, rissóis, etc, batatas fritas de pacote e coisas assim.


Bom dia gente gira! ☺

Sem comentários:

Logo terei o trabalho árduo de ajudar o meu filho a decorar uma abóbora. Help.