10.12.12

!

E se calhar a culpa é minha. É fugir quando expludo. Deixem-me respirar. Ganhar fôlego. Dêem-me espaço. Depois não se queixem. Estou a avisar. Ponto final. Parágrafo.

2 comentários:

Djow disse...

Gostei muito do seu comentário, fui completamente apanhada de surpresa com a sua história mais ou menos comum à minha... Consigo deu certo :) eu gostava de me conseguir afastar dessa pessoa, mas não consigo. Além disso, ele diria "se é isso que precisas para estar bem... eu respeito" e aposto que ficaríamos por aí. O que tiver que ser será, e o que o meu coração me diz está difícil de decifrar... :)

_grey_ disse...

Quando li o teu post - por favor trata-me por tu :), afinal só tenho 32 anitos - parecia que estava a voltar no tempo, há 9 anos atrás. Essa incerteza de sentimentos, mas que nos momentos a sós o tinha comigo. Sabes aquela cena do "tenho-te como dado adquirido?"... era assim que eu me sentia. Sabia que ele gostava de mim, muito, mas que não queria assumir compromissos bla bla bla. Enfim.

Fico contente por teres gostado do que escrevi.
Espero mesmo que te escutes, ainda és tão novinha para ficares assim, indecisa. Sei que não mandamos no coração e ele tem a capacidade de nos cegar lol mas confia em ti, confia no que sentes e exige que façam o mesmo contigo. Deves isso a ti própria. O coração, esse, depois lá saberá lamber as feridas se for caso disso. Até podes ter uma boa surpresa... ;)

Outro beijo!

Logo terei o trabalho árduo de ajudar o meu filho a decorar uma abóbora. Help.